Entenda os principais indicadores financeiros e contábeis

15 de fevereiro de 2022 | Inteligência de Mercado

O mundo dos negócios é repleto de desafios, mas também oferece oportunidades valiosas para aqueles que conseguem decifrar os segredos contidos nos números. Os indicadores financeiros são como bússolas confiáveis, apontando a direção certa para as organizações e investidores em busca de prosperidade. Neste post, embarcaremos em uma jornada de descobertas pelo fascinante universo dos indicadores financeiros, revelando sua importância, significado e como eles impulsionam os negócios rumo ao sucesso.

O que são indicadores financeiros?

Os indicadores financeiros são medidas quantitativas que retratam a saúde financeira e o desempenho de uma empresa em um determinado período. Eles oferecem uma visão objetiva da realidade financeira, permitindo que gestores, investidores e analistas tomem decisões fundamentadas e identifiquem pontos de atenção. Esses indicadores são extraídos dos demonstrativos financeiros, como o Balanço Patrimonial, a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) e o Fluxo de Caixa.

A importância dos indicadores financeiros

Para qualquer empreendimento, compreender os indicadores financeiros é vital. Eles possibilitam uma análise precisa da rentabilidade, liquidez, eficiência operacional, solvência e outros aspectos-chave que influenciam o desempenho da empresa. Através dessa análise, é possível identificar oportunidades de crescimento, riscos potenciais e até mesmo ajustar estratégias para alcançar os objetivos almejados.

Conheça os Indicadores Financeiros mais importantes

Todos estes indicadores estão disponíveis nas empresas da plataforma Klooks. Estes indicadores também podem ser usados como filtros ou como ferramenta de análise setorial ou comparação com pares de mercado.

Margem EBITDA

O indicador EBITDA representa a lucratividade de uma empresa, antes de levar em consideração itens não operacionais, como juros e impostos, além de itens não monetários, como depreciação e amortização. 

A vantagem de analisar a margem EBITDA de um negócio é a facilidade de compará-la com outras empresas, pois exclui despesas que podem ser voláteis ou um tanto ilimitadas. Além disso, ele representa muito bem a capacidade de geração de caixa da operação da empresa em si, quando não influenciada pelo endividamento ou pela depreciação.

Saiba mais sobre Margem EBITDA neste artigo.

Margem de Lucro

A Margem de Lucro é um índice financeiro usado para calcular a porcentagem de lucro que uma empresa produz de sua receita total. Ele mede a quantidade de lucro líquido que uma empresa obtém por receita obtida. A margem de lucro líquido é calculada pela divisão do lucro líquido pela receita total.

Clique aqui para ler mais sobre Margem de Lucro.

Margem EBIT

O EBIT significa lucro antes dos juros e dos impostos, e é um dos últimos subtotais na demonstração dos resultados antes do lucro líquido. A divisão do EBIT pela receita líquida resulta na margem EBIT, índice que explicita o desempenho produtivo da organização, sendo utilizada para analisar sua capacidade operacional frente a outros players do mercado.

ROA (Retorno sobre Ativos)

O Retorno sobre Ativos (ROA) mostra o percentual do lucro líquido em relação aos ativos totais da empresa. Esse índice revela o desempenho de uma empresa comparando o lucro que está gerando com o capital investido em ativos. Quanto maior o retorno, mais produtiva e eficiente é a gestão na utilização dos recursos econômicos.


ROE (Retorno sobre o Patrimônio Líquido)

ROE expressa a porcentagem do lucro líquido em relação ao patrimônio líquido, ou a taxa de retorno sobre o dinheiro que os investidores em ações investiram no negócio. 

Um índice de ROE favoravelmente alto é frequentemente citado como um motivo para comprar ações de uma empresa. Empresas com alto retorno sobre o patrimônio geralmente são mais capazes de gerar caixa internamente e, portanto, menos dependentes de financiamento de dívidas.

O ROE mediano de um setor deve ser visto como o custo de capital próprio aproximado do segmento, indicador usado com frequência em valuations. Os valores calculados devem convergir para esse número (quando temos uma boa amostragem).

Crescimento Médio da Receita

Mostra o avanço da receita (em porcentagem) ao longo dos anos, baseado nos demonstrativos financeiros disponibilizados pela organização.

Indicador também bastante útil para sustentar projeções de receita em valuations.

Liquidez corrente

Liquidez corrente é um tipo de índice financeiro usado para determinar a capacidade de uma empresa de pagar suas obrigações e dívidas em curto prazo. A métrica ajuda a determinar se uma empresa pode usar seus ativos circulantes para cobrir seus passivos atuais.

Resultado > 1: bom grau de liquidez;
Resultado = 1: recursos se igualam ao valor dos pagamentos;
Resultado < 1: não possui como quitar suas dívidas no momento.

Liquidez geral

O indicador de liquidez geral é utilizado junto aos outros indicadores de liquidez, pois ele representa as competências da organização, considerando prazos médios e longos. Ativos (circulante) e passivos (circulantes e não circulantes) da organização são levados em consideração na hora de calcular a liquidez geral.

Resultado > 1: bom grau de liquidez;

Resultado = 1: recursos se igualam ao valor dos pagamentos;

Resultado < 1: não possui como quitar suas dívidas no momento.


Prazo Médio de Recebimento (PMR)

É quanto tempo, em média, a empresa demora pra receber de seus clientes (em dias). Representa quanto em geral ela dá de prazo de pagamento para os clientes. Um cálculo contábil que aproxima muito bem este número tem a seguinte fórmula.

((Clientes Fim do Ano + Clientes Fim do Ano Anterior)/2*360)/Receita Bruta

Prazo Médio de Pagamento (PMP)

É quanto tempo, em média, a empresa demora para pagar seus fornecedores (em dias). Representa quanto em geral os fornecedores dão de prazo para a empresa pagar suas compras. Um cálculo contábil que aproxima muito bem este número é:

(Fornecedores / (CPV – Estoques Fim do Ano + Estoques Fim do Ano Anterior))*360

Se o número der negativo, é só multiplicar por -1

Prazo Médio de Estocagem (PME)

É quanto tempo, em média, a empresa mantem os estoques dentro de casa (em dias). Numa indústria representaria o tempo entre a matéria-prima chegar na empresa e sair na forma de produto pronto. Um cálculo contábil que aproxima muito bem este número é:

(((Estoques Fim do Ano + Estoques do Fim do Ano Anterior) / 2) * 360) / CPV

Se o número der negativo, é só multiplicar por -1

Ciclo Operacional

É quanto tempo, em média, dura o Ciclo Operacional completo da empresa (em dias). Isso inclui o tempo que ela demora para receber de seus clientes, somado ao tempo que os materiais ficam estocados na empresa antes de saírem como produto pronto e reduzidos os prazos de pagamento que a empresa tem com seus fornecedores. A fórmula é:

PME + PMR – PMP

Se o número der negativo (e nenhum dos fatores da equação for negativo) é por que a empresa recebe antes de pagar seus fornecedores, o que é um excelente indicador de fluxo de caixa (a empresa consegue crescer se “auto-financiando”, sem precisar de bancos).

Dívida Líquida por EBITDA

O índice dívida líquida sobre EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) mede a alavancagem financeira e a capacidade de uma empresa pagar sua dívida. A relação dívida líquida/EBITDA dá uma indicação de quanto tempo uma empresa precisaria operar em seu nível atual para pagar toda a sua dívida.

Liquidez Seca

Mede a capacidade de uma empresa de pagar seus passivos de curto prazo por ter ativos que são prontamente conversíveis em dinheiro. Esses ativos são: o caixa, títulos negociáveis e contas a receber.

Para encontrar a liquidez seca é necessário subtrair o ativo circulante do total de estoque e dividir pelo passivo circulante da organização.

Fórmula: (ativo circulante – estoque) / passivo circulante

Liquidez Imediata

Esse índice considera apenas os ativos líquidos de uma empresa (caixa e títulos negociáveis). Eles são os ativos que estão prontamente disponíveis para uma empresa pagar as suas obrigações de curto prazo.

Para calcular a liquidez imediata é necessário dividir os ativos disponíveis pelo passivo circulante da empresa.

Endividamento Geral (%)

É o índice que define o valor total da dívida em relação aos ativos de propriedade de uma empresa. Usando essa métrica, os analistas podem entender a real situação financeira da organização e quanto está comprometido em dívidas.

Para calcular o endividamento geral (EG), deve-se dividir o capital de terceiros (dívidas) pelos ativos totais da organização, e depois multiplicar por 100, resultado na proporção de EG da empresa.

Imobilização do Patrimônio Líquido (%)

Este índice representa o grau de investimento do patrimônio líquido (capital) no ativo permanente da organização, sendo seu cálculo executado por meio de informações disponíveis no balanço patrimonial.

Para saber o grau de financiamento do patrimônio líquido no ativo permanente é necessário dividir esses dois valores e depois multiplicar por 100.

Alavancagem Financeira (%)

Alavancagem financeira é o uso de dinheiro emprestado (dívida) para financiar a compra de  ativos com a expectativa de que a renda, ou ganho de capital, exceda o custo do empréstimo. Na maioria dos casos, o provedor da dívida colocará um limite em quanto risco está disposto a assumir e indicará um limite na extensão da alavancagem.

(Empréstimos e Financiamentos Circulantes + Empréstimos e Financiamentos Não Circulantes) / PL

Índice de Cobertura de Juros (%)

O índice de cobertura de juros mede a capacidade de uma empresa de cumprir suas obrigações de dívida periodicamente. Esse índice pode ser calculado dividindo o EBIT da empresa por sua despesa de juros periódica.

Seu principal objetivo é ajudar a quantificar a probabilidade de inadimplência de uma empresa, facilitando a determinação da taxa de juros apropriada a ser cobrada ou o valor da dívida que uma empresa pode assumir com segurança. Essa também é uma variável utilizada para análise de crédito entre instituições financeiras.

Custo da Dívida Líquida (%)

A dívida líquida é o valor de débito que permanece depois que uma empresa liquida o máximo possível de custos com seus ativos líquidos. O índice é usado para determinar se uma empresa conseguiria pagar suas obrigações se todas elas vencessem hoje, e se a empresa é capaz de assumir mais dívidas.

Para calcular a dívida líquida, é necessário somar todas as dívidas da organização e subtrair de seu caixa e investimentos.

ROIC Aproximado (%)

O ROIC (Retorno Sobre Capital Investido) é um índice que visa medir o percentual de retorno que uma empresa obtém sobre o seu capital investido, destacando a eficiência com que a organização está usando os fundos dos investidores para gerar renda.

O Retorno Sobre Capital Investido é calculado levando em consideração o custo do investimento e os retornos gerados. Esses retornos são, portanto, todos os ganhos adquiridos após impostos, mas antes do pagamento de juros.

Mais detalhes sobre ROIC (Retorno sobre capital investido) neste post em nosso blog!

Indicadores financeiros na plataforma Klooks

A plataforma de Big Data da Klooks possui demonstrativos financeiros de mais de 60 mil empresas brasileiras. Essas estatísticas são utilizadas cotidianamente para análises profundas de mercado, pesquisa de potenciais clientes, identificação de oportunidades de consultoria e negócios potenciais de M&A. Entre os dados apresentados pela Klooks estão os Indicadores Financeiros Empresariais e os Indicadores Financeiros Setoriais, os quais compilamos e apresentamos como Indicadores Medianos.

Os dados disponibilizados pela Klooks são tabulados e agrupados, de forma a apresentar não só indicadores financeiros mais importantes de empresas específicas, como também uma comparação com os indicadores mais estratégicos de cada mercado.

Elegemos a mediana como métrica oficial (ao invés de usar média aritmética) visando eliminar outliers e trazer uma visão setorial mais realista. Tais informações são essenciais para uma sólida avaliação financeira de empresas e setores. Os indicadores de rentabilidade são amplamente utilizados no mercado e servem como diretrizes para análise da realidade financeira das organizações.

Dessa forma, a ferramenta de Big Data da Klooks permite que você analise os dados setoriais e faça diagnóstico das empresas, comparando com pares de mercado e compreendendo valores de referência setoriais. Isso possibilita uma tomada de decisão muito mais assertiva e data driven (afinal a “era do achismo” terminou, não é?).

Como utilizar os Indicadores Financeiros com estratégia

Os Indicadores Financeiros Setoriais unificados na área de Indicadores Medianos oferecem, portanto, um recurso muito importante para qualificar análises de mercado, bem como um potencial agregador no workflow de sua organização. Unificar a API da Klooks ao sistema de gestão de sua empresa é uma forma de otimizar as relações comerciais, qualificar leads e tomar decisões mais acertadas no âmbito de investimentos e aquisições.

Para entender melhor como os recursos da Klooks podem auxiliar no crescimento de sua organização, confira nosso artigo sobre como aplicar a SWOT utilizando os dados da nossa plataforma de Big Data. 

Fale com um especialista
(Visited 432 times, 1 visits today)
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar por E-mail
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Pinterest